terça-feira, 31 de dezembro de 2013

ANCHA PELEA

ANCHA PELEA
Antonio Fabiano

Como se mi pecho fuera de acero inoxidable
La verdad rompió su camino
Al través del hilo de su dolor
En ancha pelea.

Las palabras se han hecho de silencios
Y todos los deseos obscuros.

Hay un hombre que escribe cosas raras
Y otro que se muere en su secreto.



PELEJA
Antonio Fabiano

Como se meu peito fosse de aço inoxidável
A verdade rompeu seu caminho
Pelo fio da dor
Em dura peleja.

As palavras se fizeram de silêncios
E todos os desejos obscuros.

Há um homem que escreve coisas estranhas
E outro que morre em seu segredo.

(tradução livre do próprio autor)

_____________________
* MENÇÃO HONROSA no 1° CONCURSO INTERNACIONAL DE LITERATURA DA ALACIB (Academia de Letras, Artes e Ciências Brasil) em 2013. 

2 comentários:

  1. Ambos inescrutáveis. Saudades, meu velho.

    ResponderExcluir
  2. Poema forte... contundente! Maravilha de trabalho!

    Abçs!

    Diná Fernandes

    ResponderExcluir