domingo, 3 de outubro de 2010

SOBRE A MESA

Na minha terra as coisas
Tudo
Amanhece.
Como se não bastasse essa primeira graça
Mamãe levantava-se da noite
Vestida de aurora
Setecentas vezes mais poeta do que eu
E dizia sorrindo para a avó Ignácia:
“A mesa amanheceu estrelada
De xícaras
Outra vez”.
Referia-se a meu serão
E rastro de cafeína.
Eu nunca duvidei:
Lá em casa era o céu.

Antonio Fabiano
Direitos reservados

3 comentários:

  1. Jaécia Bezerra de Brito4 de outubro de 2010 23:32

    Me fazer chorar no retorno é desleal, afinal preciso escrever um comentário. Estou emocionada. beijos pingados, cheiros lácteos, abraços maternos.

    ResponderExcluir
  2. Lembro muito desses fatos... Você e a noite e a mesa que sempre amanhecia estrelada!... Que saudades!!!

    ResponderExcluir
  3. Alessandra - Manaus/AM18 de outubro de 2010 15:05

    Muito bonito Fabiano, lindo, adorei.

    ResponderExcluir