sábado, 31 de julho de 2010

BELO HORIZONTE

quando eu cheguei aqui
não vi belo horizonte

afrontavam-me os muros altos da cidade
suas paredes sujas
de uma arte
que eu não sabia entender
cheia de rebeldia
aparente subversão
desproposital

quando eu cheguei aqui
não vi belo horizonte

isso porque talvez eu fosse
muito
o que ainda sou
mei-
o
bicho do mato
perdido na capital

a cidade se escondia de mim
(mineiramente desconfiada...)
ou eu me escondia da cidade
como coisa bruta, arisco
ela ou eu
ela e eu

era assim

depois ficou nua
– lentamente –
como mulher pra homem
mostrou-se inteira a mim
e eu a amei

no início
foi como casamento por conveniência
sem sabor

o amor veio depois.

Antonio Fabiano
Direitos reservados

Um comentário:

  1. Jaécia Bezerra de Brito2 de agosto de 2010 22:41

    Ainda bem que este grande escritor só andou se escondendo de Belo Horizonte. Nós, leitores brasileiros, agradecemos.

    ResponderExcluir