segunda-feira, 14 de novembro de 2011

ISTO NÃO É UMA CHUVA

Estou com muita preguiça de escrever nesta segunda-feira. Acho que no meu pensamento vou acender um cigarro e esquecer...
Sou um fumante imaginário.
Mas isto não é um cachimbo, isto não é um cigarro. Isto é uma crônica?
O país inteiro faz campanha: abaixo o cigarro! Eu também digo: abaixo o cigarro! Abaixo o cigarro!...
No caminho de volta para casa me surpreendeu uma inesperada chuva. Não corri da chuva. Quem não deve, não teme. Gosto da chuva. Mas acho que não corri porque vi neste final de semana “Meia-Noite em Paris” de Woody Allen, e queria dar minha versão do seu final.
As lentes dos meus óculos estão embaçadas, estão cheias de gotas de chuva. Acho que não vou enxugá-las. Quero manter diante dos meus olhos esta lembrança viva da chuva desta manhã que me surpreendeu e envolveu.
Gosto muito da chuva. Parece um conto meu, um poema.
Mas isto não é um poema, isto não é um conto, isto não é um cachimbo, nem mesmo um cigarro imaginário. Isto não é uma chuva... Isto é uma crônica.

Antonio Fabiano
Belo Horizonte, 14 de novembro de 2011.
Blog: www.antoniofabiano.blogspot.com
E-mail: seridoano@gmail.com

Um comentário:

  1. Jaécia Bezerra de Brito17 de novembro de 2011 00:09

    É cor do arco-íris que derreteu-se em lágrimas, tem o cheiro forte do tabaco dos tempos e memórias idas, vem se esgueirando por nuvens fingidas e vai acariciando a pele como um beijo jamais dado na espera da noite, beijos, querido.

    ResponderExcluir