quarta-feira, 15 de setembro de 2010

LABIRINTO

Eis a libélula bélica – de asas translúcidas –
A pairar sobre o labirinto das macerações!

Nós demolimos este e aquele sistema
Colossal,
Quebramos todas as pedras filosofais,
Blasfemamos e rimos
De nossos pérfidos ancestrais,
Reinventamos o mundo... (ética... ética?)
E ainda somos como foram
Nossos pobres renegados pais.

Eis o mundo! Novo mundo!
Mundo... Mundo... Vastíssimo mundo
Entre ruínas e ultraprogressos...

“Façamos guerra em prol da paz!”
“Guerra! Guerra!”
“Pela paz!”
“Deus nos impele!”
“Matemos mais!”
“Guerra! Guerra! Pela paz!”

Um louco grita:
“Quero a roda,
O fogo primeiro,
A caverna!”

O ser de asas translúcidas
Paira sobre nós...

Antonio Fabiano
Direitos reservados

Um comentário:

  1. Jaécia Bezerra de Brito17 de setembro de 2010 19:24

    Eis o homem escrevendo, imprimindo a nossa involução. Mais uma vez fico de boca aberta diante de suas considerações. Soube que estás prestes a fazer os votos perpétuos, parabéns meu querido, que Deus te ilumine sempre.

    ResponderExcluir