sexta-feira, 3 de setembro de 2010

SEM PEIAS

Às vezes quando ligam e ao telefone me perguntam “quem está falando?”, respondo:
“Eu, filho do carbono e do amoníaco /
Monstro de escuridão e rutilância”!...

(Cito os dois primeiros versos do soneto “Psicologia de um vencido”, de Augusto dos Anjos).

2 comentários:

  1. eu responderia como Ulisses: "eu sou ninguém". os clássicos são muito positivos.
    abraço, mano!

    ResponderExcluir
  2. Jaécia Bezerra de Brito7 de setembro de 2010 22:08

    Sou a noite insone, o dia nauseabundo de um banheiro público; aliás não sou, me fizeram e estou prestes a me recriar para que me reconheças, por isso adeus. Caríssimo li a crítica filosófica:SOS.SOS.SOS. Há dias que você vem me inspirando, tô afiadíssima, muito agradecida. Abração. Visite musicronicas.

    ResponderExcluir